Classes de Sementes A semente certificada é o resultado de um material vegetal, de cujas caracterísiticas genéticas, os atores envolvidos no processo produtivo, têm pleno conhecimento. Para que se produza a semente certificada, o ponto de partida é uma pequena quantidade de sementes de determinada cultivar, obtidas pelo melhoramento genético ou da multiplicação das sementes de uma cultivar já existente, sob condições rigorosamente controladas (Carvalho & Nakagawa, 1980).

Essa pequena quantidade de sementes, ao ser multiplicada, resulta no aparecimento de algumas classes intermediárias, até se alcançar o nível de semente certificada. I) Semente genética: é produzida sob responsabilidade do melhorista e mantida dentro de suas características de pureza genética.

A partir desta é produzida a semente básica.

II) Semente básica: é aquela que resulta da multiplicação da semente genética, produzida sob a responsabilidade do obtentor ou de uma instituição por ele autorizada. Em geral é a partir desta classe que se produz a certificada, dependendo da quantidade produzida. Se esta não for suficiente, exige uma nova multiplicação, da qual resulta a semente registrada.

III) Semente Fiscalizada: resulta da multiplicação da semente básica, Certificada ou da própria Fiscalizada, categorias A e B mantendo sua pureza varietal e identidade genética e produzidas sob controle da entidade certificadora.

IV) Semente certificada: resulta da multiplicação da semente básica, da registrada ou da própria certificada categoria A. É produzida pela entidade produtora de acordo com normas estabelecidas pela entidade certificadora. É a classe de sementes que será disponibilizada aos produtores.

No Estado de Mato Grosso, de acordo com a portaria 93, de 1-9-1998, existem duas classes de sementes certificadas (A e B) e três classes de sementes Fiscalizadas (A, B e C), sendo o produto derivado da Semente Fiscalizada C, destinado a indústria de óleo e torta.